Ter, 07 de Maio de 2019 14:31

Gestão responsável Destaque

Em tempos de ajustes financeiros e reorganização estatal, o governador Ronaldo Caiado mostra seu compromisso com o Estado de Goiás ao ter coragem de promover uma reforma administrativa ampla e significativa, tendo como objetivo reduzir cargos em comissão, ajustar estruturas e funcionamento administrativo, além de fomentar o desenvolvimento econômico sustentável, capaz de oferecer ao cidadão goiano serviços modernos e de qualidade, economia nos gastos públicos e uma gestão voltada para a ética e fomento organizacional.

 
A Reforma Administrativa proposta pelo Governador Caiado aduz aos princípios constitucionais, norteadores da boa gestão governamental, sendo eles a eficiência, moralidade, impessoalidade legalidade e transparência, qualificando portanto, o Estado de Goiás como uma administração postulada pela prestação do serviço público de forma eficiente e eivada de ações profícuas de gerenciamento de esforços e recursos financeiros. Bem como preocupada com o bem comum e a qualidade de vida dos cidadãos goianos.
 
Tendo como principal diretriz o enxugamento dos gastos públicos, o Governador de Goiás propõe por meio da medida reformativa a redução de 20% dos custos de funcionamento e manutenção da organização administrativa. Em números, a economia prevista será de R$ 119 milhões ao ano. Ronaldo Caiado, político experiente e histórico legislador, evidencia-se a nível nacional, em meio a tantas ações politiqueiras, como um gestor e idealizador da eficiente da administração pública.
 
Vale ressaltar que a Reforma Administrativa foi elaborada por um Grupo de Trabalho integrado de competentes gestores, servidores estaduais e pela Procuradoria-Geral do Estado. Neste sentido, amparado pelo Programa Compliance Público, também adotado pelo Governador Ronaldo Caiado e que consiste em um conjunto de ações destinadas a assegurar que os atos de gestão estejam em conformidade com os padrões éticos e legais, a fomentar a transparência e as denúncias e a combater a corrupção, pode-se afirmar que a redução de 24,7% do quadro de pessoal, gerados pela extinção de cerca de 2.600 cargos comissionados não causará diminuição da quantidade de atendimentos ou serviços, tampouco baixa na qualidade da prestação destes, mas, ao contrário, evidenciará a otimização e racionalização dos custos e da máquina administrativa.As ações de austeridade, responsabilidade e organização do Governo de Ronaldo Caiado evidencia-se, para nosso país, como um exemplo de comprometimento com a eficiência, gestão e moralidade governamental.

Dioji Ikeda é advogado, atual superintendente de Gestão do Vapt-Vupt e ex-prefeito de Inhmas